sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Liturgia do XXVI Domingo do Tempo Comum, 30.09.2012





XXVI Domingo do Tempo Comum - Ano B 
30 de setembro 2012

A liturgia do 26º Domingo do Tempo Comum apresenta várias sugestões para que os crentes possam purificar a sua opção e integrar, de forma plena e total, a comunidade do Reino. Uma das sugestões mais importantes (que a primeira leitura apresenta e que o Evangelho recupera) é a de que os crentes não pretendam ter o exclusivo do bem e da verdade, mas sejam capazes de reconhecer e aceitar a presença e a acção do Espírito de Deus através de tantas pessoas boas que não pertencem à instituição Igreja, mas que são sinais vivos do amor de Deus no meio do mundo.

A primeira leitura, recorrendo a um episódio da marcha do Povo de Deus pelo deserto, ensina que o Espírito de Deus sopra onde quer e sobre quem quer, sem estar limitado por regras, por interesses pessoais ou por privilégios de grupo. O verdadeiro crente é aquele que, como Moisés, reconhece a presença de Deus nos gestos proféticos que vê acontecer à sua volta.

No Evangelho temos uma instrução, através da qual Jesus procura ajudar os discípulos a situarem-se na órbita do Reino. Nesse sentido, convida-os a constituírem uma comunidade que, sem arrogância, sem ciúmes, sem presunção de posse exclusiva do bem e da verdade, procura acolher, apoiar e estimular todos aqueles que actuam em favor da libertação dos irmãos; convida-os também a não excluírem da dinâmica comunitária os pequenos e os pobres; convida-os ainda a arrancarem da própria vida todos os sentimentos e atitudes que são incompatíveis com a opção pelo Reino.

A segunda leitura convida os crentes a não colocarem a sua confiança e a sua esperança nos bens materiais, pois eles são valores perecíveis e que não asseguram a vida plena para o homem. Mais: as injustiças cometidas por quem faz da acumulação dos bens materiais a finalidade da sua existência afastá-lo-ão da comunidade dos eleitos de Deus.



---- 


 Para ver as Leituras do XXVI Domingo do Tempo Comum, clique AQUI.

Para ver o Evangelho do XXVI Domingo do Tempo Comum, clique AQUI.

Para ver uma Reflexão sobre o Evangelho do XXVI Domingo do Tempo Comum, clique AQUI.


Fontes: 
A Caminho 
Beneditinos 
Dehonianos 
SDPL Viseu

domingo, 23 de setembro de 2012

Convívio Fraterno - Proença-a-Nva




"DEVO TRABALHAR COM TODA A MINHA ALMA PARA QUE A VIDA DE CRISTO QUE VIVE EM MIM, RESPLANDEÇA EM TODAS AS MINHAS OBRAS. OS MEUS SENTIDOS, POTÊNCIAS E OS AFETOS DO MEU CORAÇÃO NÃO DEVEM FAZER NADA SENÃO EM CRISTO, POR CRISTO E PARA CRISTO, PARA FAZER-ME SEMELHANTE A CRISTO. E NÃO DEVO CONTENTAR-ME COM ISTO, MAS COM DESCRIÇÃO E PRUDÊNCIA ATRAIR TODOS OS QUE PUDER A AMAR A CRISTO."
SANTA RAFAELA MARIA


Irá realizar-se na nossa diocese mais um Convívio Fraterno, mais uma oportunidade para darmos a conhecer a tantos jovens este Cristo que nos ensina, em tudo, a amar sem medida e a seguir o Seu exemplo.


Um convívio é uma experiência profunda de crescimento pessoal, e acima de tudo, de crescimento na fé e na relação com Deus. É uma oportunidade única de encontro com o Pai, que se concretiza numa descoberta Dele em nós e no próximo. Um Convívio Fraterno não se esgota nestes três dias! Cada jovem, no seu “quarto dia”, é enviado a dar o seu testemunho e participar desta missão que é levar Cristo a todos, inserindo-se nas suas paróquias e participando mais activamente nas actividades por elas propostas, vivendo experiências noutros movimentos e participando nas actividades da diocese, assumindo assim a responsabilidade de levar mais longe esta herança recebida de Jesus ao longo destes três dias.

O convívio inicia-se dia 4 de Outubro pelas 20h00 e o encerramento (aberto a todos os que queiram participar, nomeadamente às famílias, amigos, párocos e antigos convivas) será no dia 7 de Outubro também pelas 20 horas. Tanto o convívio como o encerramento serão no Seminário dos Missionários do Preciosíssimo Sangue em Proença-a-Nova.

O convívio destina-se a jovens de ambos os sexos, com pelo menos 17 anos de idade ou já a frequentar o 11º ano. Tem um custo de 50€. No entanto, ninguém deixará de participar por falta de meios monetários sendo possível ao participante contribuir apenas com aquilo que tiverem possibilidade de dar. E quem quiser ajudar, poderá fazê-lo através do NIB 003506420005705963019.

A oração é o “motor” que possibilita que um convívio corra bem, sirva o seu propósito e dê muitos frutos. Por isso pedimos também a sua oração e a dos seus paroquianos, para que os jovens que participam neste convívio possam abrir o seu coração ao toque de Deus. Para inscrições ou qualquer outro esclarecimentopoderá contatar qualquer uma das seguintes pessoas: Pe. Rui Rodrigues - 925471209; Pe. Luís Marques – 917237071; Dulce Catarino – 963738645 ou através do e-mail: secretariadocf@gmail.com.


Fonte: 
Pastoral Juvenil Portalegre e Castelo Branco

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Liturgia do XXV Domingo do Tempo Comum, 23.09.2012





XXV Domingo do Tempo Comum - Ano B
23 de setembro de 2012


A liturgia do 25º Domingo do Tempo Comum convida os crentes a prescindir da “sabedoria do mundo” e a escolher a “sabedoria de Deus”. Só a “sabedoria de Deus” – dizem os textos bíblicos deste domingo – possibilitará ao homem o acesso à vida plena, à felicidade sem fim.

O Evangelho, Mc 9, 30-37 apresenta-nos uma história de confronto entre a “sabedoria de Deus” e a “sabedoria do mundo”. Jesus, imbuído da lógica de Deus, está disposto a aceitar o projecto do Pai e a fazer da sua vida um dom de amor aos homens; os discípulos, imbuídos da lógica do mundo, não têm dificuldade em entender essa opção e em comprometer-se com esse projecto. Jesus avisa-os, contudo, de que só há lugar na comunidade cristã para quem escuta os desafios de Deus e aceita fazer da vida um serviço aos irmãos, particularmente aos humildes, aos pequenos, aos pobres.

A segunda leitura, Tg 3, 16_4, 3 exorta os crentes a viverem de acordo com a “sabedoria de Deus”, pois só ela pode conduzir o homem ao encontro da vida plena. Ao contrário, uma vida conduzida segundo os critérios da “sabedoria do mundo” irá gerar violência, divisões, conflitos, infelicidade, morte.

A primeira leitura, Sab 2, 12.17-20 avisa os crentes de que escolher a “sabedoria de Deus” provocará o ódio do mundo. Contudo, o sofrimento não pode desanimar os que escolhem a “sabedoria de Deus”: a perseguição é a consequência natural da sua coerência de vida.


---- 


 Para ver as Leituras do XXV Domingo do Tempo Comum, clique AQUI.

Para ver o Evangelho do XXV Domingo do Tempo Comum, clique AQUI.

Para ver uma Reflexão sobre o Evangelho do XXV Domingo do Tempo Comum, clique AQUI.


Fontes: 
A Caminho 
Beneditinos 
Dehonianos 
SDPL Viseu

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Liturgia do XXIV Domingo do Tempo Comum, 16.09.2012




XXIV Domingo do Tempo Comum - Ano B
16 de setembro de 2012


A liturgia do 24º Domingo do Tempo Comum diz-nos que o caminho da realização plena do homem passa pela obediência aos projectos de Deus e pelo dom total da vida aos irmãos. Ao contrário do que o mundo pensa, esse caminho não conduz ao fracasso, mas à vida verdadeira, à realização plena do homem.

A primeira leitura apresenta-nos um profeta anónimo, chamado por Deus a testemunhar a Palavra da salvação e que, para cumprir essa missão, enfrenta a perseguição, a tortura, a morte. Contudo, o profeta está consciente de que a sua vida não foi um fracasso: quem confia no Senhor e procura viver na fidelidade ao seu projecto, triunfará sobre a perseguição e a morte. Os primeiros cristãos viram neste “servo de Jahwéh” a figura de Jesus.

No Evangelho, Jesus é apresentado como o Messias libertador, enviado ao mundo pelo Pai para oferecer aos homens o caminho da salvação e da vida plena. Cumprindo o plano do Pai, Jesus mostra aos discípulos que o caminho da vida verdadeira não passa pelos triunfos e êxitos humanos, mas pelo amor e pelo dom da vida (até à morte, se for necessário). Jesus vai percorrer esse caminho; e quem quiser ser seu discípulo, tem de aceitar percorrer um caminho semelhante.

A segunda leitura lembra aos crentes que o seguimento de Jesus não se concretiza com belas palavras ou com teorias muito bem elaboradas, mas com gestos concretos de amor, de partilha, de serviço, de solidariedade para com os irmãos.


---- 


 Para ver as Leituras do XXIV Domingo do Tempo Comum, clique AQUI.

Para ver o Evangelho do XXIV Domingo do Tempo Comum, clique AQUI.

Para ver uma Reflexão sobre o Evangelho do XXIV Domingo do Tempo Comum, clique AQUI.


Fontes: 
A Caminho 
Beneditinos 
Dehonianos 
SDPL Viseu

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Liturgia do XXIII Domingo do Tempo Comum, 09.09.2012




XXIII Domingo do Tempo Comum - Ano B
09 de setembro de 2012


A liturgia do 23º Domingo do Tempo Comum fala-nos de um Deus comprometido com a vida e a felicidade do homem, continuamente apostado em renovar, em transformar, em recriar o homem, de modo a fazê-lo atingir a vida plena do Homem Novo.

 Na primeira leitura, um profeta da época do exílio na Babilónia garante aos exilados, afogados na dor e no desespero, que Jahwéh está prestes a vir ao encontro do seu Povo para o libertar e para o conduzir à sua terra. Nas imagens dos cegos que voltam a contemplar a luz, dos surdos que voltam a ouvir, dos coxos que saltarão como veados e dos mudos a cantar com alegria, o profeta representa essa vida nova, excessiva, abundante, transformadora, que Deus vai oferecer a Judá.

 No Evangelho, Jesus, cumprindo o mandato que o Pai Lhe confiou, abre os ouvidos e solta a língua de um surdo-mudo… No gesto de Jesus, revela-se esse Deus que não Se conforma quando o homem se fecha no egoísmo e na auto-suficiência, rejeitando o amor, a partilha, a comunhão. O encontro com Cristo leva o homem a sair do seu isolamento e a estabelecer laços familiares com Deus e com todos os irmãos, sem excepção.

 A segunda leitura dirige-se àqueles que acolheram a proposta de Jesus e se comprometeram a segui-l’O no caminho do amor, da partilha, da doação. Convida-os a não discriminar ou marginalizar qualquer irmão e a acolher com especial bondade os pequenos e os pobres.


---- 


Para ver as Leituras do XXIII Domingo do Tempo Comum, clique AQUI.

Para ver o Evangelho do XXIII Domingo do Tempo Comum, clique AQUI.

Para ver uma Reflexão sobre o Evangelho do XXIII Domingo do Tempo Comum, clique AQUI.


Fontes: 
A Caminho 
Beneditinos 
Dehonianos 
SDPL Viseu

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

VIII Encontro Nacional da Família Vicentina




Será no próximo dia 22 de setembro que nos vamos encontrar em Fátima, no auditório Paulo VI, como Família Vicentina, nos seus 7 “ramos” presentes no nosso país, a saber: AIC (Associação Internacional da Caridade), CM (Congregação da Missão), FC (Filhas da Caridade), SSVP (Sociedade de S. Vicente de Paulo), JMV (Juventude Mariana Vicentina), AMM (Associação da Medalha Milagrosa) e CMV (Colaboradores da Missão Vicentina). 

Desde já, reserva o dia e motiva outras pessoas para este encontro, que vai ter o seguinte programa: 

 10h00 - Acolhimento 
 10h30 - Tema: “Família e Evangelização”. 
 O tema será apresentado pelas 4 zonas onde foi trabalhado nos encontros regionais: Felgueiras, Mem Soares, Salvaterra e Lisboa. Um quarto de hora para cada zona. Palavra conclusiva do Sr. D. Augusto César. 
 12h30 - Tempo livre: almoço, devoções particulares, convívio… 
 14h30 - Variedades em palco. Desfilarão as 4 zonas acima referidas, bem como um grupo de jovens da SSVP (um quarto de hora para cada grupo). 
 16h00 - Preparação para Eucaristia. 
 16h30 - Eucaristia… Envio… Presidida pelo Sr. D. Augusto César.